• Portal do Servidor
  • Campus
  • SEI
  • RH Bahia

Notícias

16/11/2017 17:00

CEPED realiza medição e classifica águas de praias, rios e lagoas da Bahia

Mais de 120 praias, rios e lagoas destinados à recreação na Bahia têm a qualidade das águas analisadas pelo Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CEPED), órgão vinculado à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), e resultados divulgados pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). A balneabilidade tem por objetivo classificar as águas como próprias e impróprias para banho, sendo medida sistematicamente toda semana, no período da manhã e em locais com maior concentração de banhistas, em Salvador, na Baía de Todos os Santos, nas Costas do Dendê (Litoral Baixo Sul), do Cacau (Litoral Sul), dos Coqueiros (Litoral Norte) e do Descobrimento (Litoral Extremo Sul).

De acordo com o boletim divulgado na última sexta-feira (10), das 38 amostras de águas analisadas em Salvador, oito estão impróprias para banho, a exemplo das praias do Farol da Barra e São Tomé de Paripe, e da Lagoa do Abaeté. Já na Baía de Todos os Santos, as praias de Cabuçu (em frente às barracas) e Mar Grande (em frente à praça principal) também estão impróprias para banho.

A farmacêutica e coordenadora do Laboratório de Balneabilidade do Ceped, Cristina Yassuko Yamanaka, explica que a maior parte das praias da capital foi considerada própria para recreação, mas algumas praias permanecem impróprias por um longo período. “Os resultados também demonstram a necessidade de medidas estruturais e socioeducativas que visam minimizar os impactos causados ao meio ambiente e à saúde pública, diante do crescimento populacional e insuficiência do tratamento dos esgotos domésticos, que são lançados diretamente nas praias”, disse.

A balneabilidade é considerada importante para esclarecimento da sociedade, pois o contato direto e prolongado com solo ou água contaminados pode transmitir doenças que vão desde problemas na pele até as doenças mais graves como infecções digestivas e intestinais. As praias próprias ou impróprias para o banho são identificadas pelo Inema com placas para alertar os banhistas, pois as águas aparentemente limpas nem sempre estão sem contaminação.

Balneabilidade

A metodologia de análise das amostras segue as recomendações do Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater 21th ed. De acordo com a resolução do Conama, a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas apresenta resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2.500 coliformes termotolerantes ou 2.000 Escherichia coli, ou 400 enterococos por 100 mL de água.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.